sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Uruaçu – Trabalhos do Legislativo prosseguem normalmente




Presidente da Câmara Municipal de Uruaçu, Zorão (PT) (foto) esclarece que as atividades parlamentares estão transcorrendo normalmente, mesmo com o período eleitoral.
Antes do início da campanha, ele havia antecipado isso ao Jornal Cidade, quando pontuou, em publicação do periódico que destacava os rumos dos 13 vereadores uruaçuenses no processo sucessório 2016: “Temos um planejamento que não sofrerá alterações. As sessões continuam se realizando nas segundas, 20h, além da última, que tem uma variação dia dias e, os trabalhos das Comissões se desenrolarão com tranquilidade”.
No link http://www.jotacidade.com/colunas/exibir.php?noticia_id=2143&noticia_link=6&noticia_data=11-08-2016%2022:08:54 a publicação de 15 de agosto, de título Uruaçu – Dos 13 vereadores, 12 buscarão reeleição.

(Jota Marcelo Foto: Márcia Cristina)

Raquel Campos é prestigiada de forma destacada em lançamento de livro

Raquel Campos, autora de Entre ilustres e anônimos: a concepção de história em Machado de Assis
Livro lançado pela editora Argos (Chapecó-SC)

A escritora e o orientador Noé Freire Sandes

Edival Lourenço (esq.), Eurico Barbosa, Raquel Campos, Lêda Selma e Itaney Campos. Um viva para a cultura!

Em dados da editora – Entre ilustres e anônimos: a concepção de história em Machado de Assis...

...Traz uma questão bastante original, ao subverter o modo como tradicionalmente Clio vem sendo estudada quando se trata do Bruxo do Cosme Velho...

...Afinal, analisar uma concepção de história é normalmente uma tarefa a que se dedicam ensaístas quando estudam a obra de historiadores

Livro está à venda, inclusive, na opção online, no site da editora

Outros dados da editora: mas aqui não se trata de Heródoto ou de Políbio, de Ranke ou de Varnhagen...

...Neste livro, a figura central é nosso maior escritor, e se trata de compreender sua visão sobre a história, entendida enquanto saber...

...Nesse intuito, a autora conduz o leitor ao incontornável ensaio machadiano sobre o instinto de nacionalidade e às deliciosas crônicas da série A Semana...

Isto após uma primeira e obrigatória escala pelos historiadores do século XIX, às voltas com as tentativas para pensar e escrever a história no Brasil, e não sem passar pelos debates que atravessam a fortuna crítica machadiana...

Desse percurso, ela faz emergir uma figura igualmente inesperada: não um novo Machado de Assis, e sim um escritor herético...

Alguns nomes presentes no lançamento: Lêda Selma, presidente da AGL

Edival Lourenço, presidente da União Brasileira de Escritores de Goiás

Eurico Barbosa, escritor e historiador

Desembargador (e pai da autora) Itaney Campos

Solange Campos, tia de Raquel Campos. Exclusivo – atenção Uruaçu!: está pintando um livro de Solange

A autora Raquel Campos e familiares: casal Leila Regina/doutor Itaney Campos (esq.); Solange Campos/Rômulo Teixeira; Vanessa Campos e filha Marcela Campos; e, casal Selma Campos/Elzio Santos

Solange Campos, doutor Itaney Campos, Leila Regina, Lêda Selma: apoio para Raquel Campos

Autora, pai e duas tias

Número um da noite com Solange Campos/Rômulo Teixeira

Raquel Campos e o casal Karlyane Camargo/Marcus Vinicius Peres. Alô doutor Mariano Correia Peres!!!

Também incentivando a autora, o casal Valéria Costa Magalhães/Domingos Otávio Batista Magalhães

Em uma das mesas, a presença coletiva de prestigiadores

Edival Lourenço, doutor Itaney Campos, Lêda Selma  e Eurico Barbosa: cultura de primeira

Lançamento do livro de Raquel Campos fortalece o setor cultural de Goiás, disse Lêda Selma em entrevista ao Jornal Cidade

Doutora em História e professora da Universidade Federal de Goiás (UFG), Raquel Campos lançou na noite de 22 de setembro, em Goiânia, o livro Entre ilustres e anônimos: a concepção de história em Machado de Assis, através da editora Argos.
O evento cultural, realizado na sede da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Goiás (ADUFG), reuniu dezenas de pessoas das sociedades goianiense, uruaçuense e de outros centros. A autora é filha do desembargador Itaney Campos (doutor Itaney – natural de Uruaçu, poeta, escritor e recém-eleito para a Academia Goiana de Letras AGL).
Entre os presentes, Lêda Selma de Alencar e Edival Lourenço, respectivamente presidentes da AGL e da União Brasileira de Escritores de Goiás e, Eurico Barbosa (escritor e historiador). Também, o desembargador Norival Santomé; e, Noé Freire Sandes (doutor em História Social [Universidade de São Paulo {USP}]), orientador do trabalho de Raquel Campos.
Dentre os familiares da autora, além do pai (que se fazia acompanhado de Leila Regina), estavam o esposo (Marlon Jeison Salomon [coordenador do Programa de Pós-graduação em História da UFG]) e, os tios Selma Campos/Elzio Santos, Solange Campos/Rômulo Teixeira, primos.
Em linhas gerais, os entrevistados enalteceram a novidade, classificando Machado de Assis como personagem ímpar para ser envolvido com o trabalho da obra.
Curta a COBERTURA/FOTOJORNALISMO (fotos de Márcia Cristina e Jota Marcelo [JORNAL CIDADE]) e, aguarde veiculação de reportagem, contendo opiniões de distintas pessoas.

Escritor maior
Resumo da obra, em dados transcritos (sem adaptações) da editora:
Entre ilustres e anônimos: a concepção de história em Machado de Assis traz uma questão bastante original, ao subverter o modo como tradicionalmente Clio vem sendo estudada quando se trata do Bruxo do Cosme Velho. Afinal, analisar uma concepção de história é normalmente uma tarefa a que se dedicam ensaístas quando estudam a obra de historiadores. Mas aqui não se trata de Heródoto ou de Políbio, de Ranke ou de Varnhagen. Neste livro, a figura central é nosso maior escritor, e se trata de compreender sua visão sobre a história, entendida enquanto saber. Nesse intuito, a autora conduz o leitor ao incontornável ensaio machadiano sobre o instinto de nacionalidade e às deliciosas crônicas da série A Semana. Isto após uma primeira e obrigatória escala pelos historiadores do século XIX, às voltas com as tentativas para pensar e escrever a história no Brasil, e não sem passar pelos debates que atravessam a fortuna crítica machadiana. Desse percurso, ela faz emergir uma figura igualmente inesperada: não um novo Machado de Assis, e sim um escritor herético (http://www.isthmus.com.br/argos/linguistica,-letras-e-artes/letras,-linguistica-e-literatura/entre-ilustres-e-anonimos-a-concepcao-de-historia-em-machado-de-assis/1-45600/centro_detalhes.aspx).


(Jota Marcelo. Com fonte citada)

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Uruaçu – Moradia se tornou um dos motes centrais da campanha eleitoral

Foi imaginado que número acentuado de segmentos se tornaria mote do pleito eleitoral 2016 de Uruaçu. No entanto, as principais áreas debatidas são saúde e moradia – Fotos: Márcia Cristina

Netinho propôs espécie de  bolsa prestação habitacional. Quantas? Quatrocentas e quarenta e seis

Solange Bertulino: mil lotes de graça e busca de recursos para construir igual número de casas

Valmir Pedro: construção de duzentas casas todo ano

Machadinho (esq.), ladeado pelo vereadoriável Professor Tom (PRTB): o JC não teve acesso ao seu plano de governo, que tem uma parte dedicada para com a moradia popular 

Quando muitos pensaram que bom número de segmentos se tornaria mote da campanha eleitoral uruaçuense 2016, eis que a saúde – em iniciativa tradicional –, permanece reinando, vindo em segundo lugar o setor da moradia.
Existe, em média, um déficit de 3 mil moradias dentro de Uruaçu. O sonho da casa própria é assunto discutido sempre no seio de cada família.

Saúde pública
Em linhas gerais, quando o tema é saúde pública o que se vê? Existem amplos propósitos dos quatro disputantes quanto à conclusão da obra do Hospital Regional de Uruaçu; ao fato de que nas unidades de saúde e nos Postos de Saúde não faltarão médicos; que na Farmácia Básica não deixará de ter medicamentos; que convênios com a iniciativa privada serão pagos com pontualidade; que haverá luta maior pela implantação de um curso de Medicina na Terra de Coronel Gaspar; daí por diante.
Como se sabe, na história da humanidade o fator ter saúde, estar com a saúde boa é pioneiro, afinal ninguém consegue trilhar normalmente a vida com saúde debilitada. Justamente por isso que a particularidade ganha holofotes maiores.

Habitação
Netinho (PTB) informa que, se eleito, firmará convênio com as quatrocentas e quarenta e seis famílias contempladas com casas nos Residenciais Jorgina dos Santos Rodrigues, Marisa dos Santos Pereira Araújo e Dom José Silva Chaves, entregues oficialmente em 1º de julho de 2016. Dias atrás o candidato registrou o compromisso em um dos três cartórios da cidade, deixando claro: nenhuma das quase quinhentas famílias pagaria prestação das casas.
Solange Bertulino (PMDB) externa que, se reeleita for, viabilizará mil lotes de graça para famílias carentes, através de registro dos imóveis no nome de matriarcas ou, mulheres sem filhos, com aliados dela buscando recursos junto ao governo federal para construção dos lares. O presidente Michel Temer é do mesmo partido da prefeita.
Valmir Pedro (PSDB) tornou público que, se eleito, construirá oitocentas casas, duzentas por ano, em parceria com o Governo de Goiás, por meio da Agência Goiana de Habitação. No programa eleitoral, ele comunica que dialogou sobre tal projeto com o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB) e, com Luis Stival, preside da Agehab e, ambos teriam dito sim para a ideia.
O Jornal Cidade não tem conhecimento do que trata o plano de governo do prefeitável Machadinho (DEM) sobre moradia popular e (envolvendo candidaturas), nem procura em redes sociais ou na internet convencional, ainda mais que a assessoria – de todo competidor –, devia naturalmente encaminhar exemplares eletrônicos e impressos logo que ficasse pronto.
Mas de atenção há anos para com a classe de baixo poder aquisitivo, a tendência é que Machadinho e equipe tenham se voltado para o setor, igualmente os três adversários.
Cada plano de governo ajuda informar, esclarecer, fomentar debates públicos (pena que nem todos os debates são saudáveis, pois tem correligionário que parte para baixarias; em recente campanha uruaçuense, dois personagens locais conhecidos brigaram de fato, rolando por duas calçadas do Centro). Motivo: conteúdos de planos de governo.
E, infelizmente eles ficam prontos tarde demais, além do fato de pouquíssima parcela da população ter acesso aos planos.

(Jota Marcelo)

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Cristian Budu se apresenta com a Filarmônica de Goiás


Concertos para a Juventude: entrada gratuita para apreciar o talento de Cristian Budu, que se apresenta com a Filarmônica de Goiás – Imagem: Divulgação (Clique para ampliar)

 
Com entrada gratuita, no dia 25 de setembro, domingo, 11h, a Orquestra Filarmônica de Goiás realiza mais uma apresentação da série Concertos para a Juventude. A Filarmônica sobe ao palco do Centro Cultural do Oscar Niemeyer, em Goiânia, sob a regência do maestro Neil Thomson. O pianista brasileiro Cristian Budu é o grande convidado deste concerto. Ele executará o Concerto para Piano e Orquestra de Schuman.
Outro destaque do espetáculo é a primeira audição mundial da obra Frustum, do compositor Helder Alves, vencedor da primeira edição do Opus I, concurso para jovens compositores brasileiros. A obra Sinfonia n.3 Singulière, de Berwald também faz parte do programa.

O pianista
Cristian Budu é considerado um dos expoentes de sua geração. Em 2013, tornou-se o primeiro brasileiro a vencer o 25º Concours International de Piano Clara Haskil na Suíça, considerado um dos mais importantes da atualidade. Além do grande prêmio, Cristian também arrebatou o prêmio do público e o prêmio Children's Corner. No mesmo ano venceu também o concurso WIld Card Ensemble Honors Competition, do New England Consevatory em Boston.
Cristian desenvolve uma carreira intensa como solista e camerista, apresentando-se na América do Sul, Europa, nos Estados Unidos e em Israel, em salas como Jordan Hall em Boston, Ateneu de Bucareste, Teatro Municipal de São Paulo, Teatro Municipal do Rio de Janeiro, Fundação Maria Luisa e Oscar Americano, Museu da Casa Brasileira, entre outras.
O pianista dedica-se também à música popular. Em 2009, participou como convidado especial de um espetáculo de Antônio Nóbrega no Auditório Ibirapuera, e em Boston é integrante de um quarteto especializado em choro.
Cristian é mestre em Performance Pianística pelo New England Conservatory (EUA), onde foi bolsista de 2010 a 2012, na classe de Wha Kyung Byun, com quem estuda até hoje. É bacharel em Música pela USP na classe de Eduardo Monteiro. Foi aluno do Instituo Brincante, onde teve aulas com Rosane Almeida e outros artistas populares.

O maestro
A regência do espetáculo é do diretor artístico da Filarmônica, Neil Thomson. Thomson é um dos maestros mais versáteis de sua geração. De 1992 até 2006, foi regente titular no Royal College of Music, o mais jovem maestro a ocupar o cargo.
Ele foi nomeado membro honorário do RCM em 1994, pelos serviços prestados à instituição. Suas habilidades como orador têm se aprimorado, fazendo crescer sua reputação como professor por toda a Europa.
Foi convidado duas vezes para o EU – Sponsored Master Classes em Vilnius, Lituânia, e foi professor convidado no Mozarteum em Salzburgo, na Academia de Música Kakow e no Conservatório Arrigo Boito, em Parma.

(Informações: Comunicação Setorial da Seduce)