quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Habitação: reuniões e audiência discutem estratégias e ações

Reunião com moradores da região Leste

Trabalho com uruaçuenses da região Norte


Atividade envolvendo população da região Central-Sul


Reunião com moradores da zona rural


Moradores da região Oeste, em mais uma reunião


Audiência de pactuação do Produto 3

De 5 a 7 de dezembro foi realizada em Uruaçu uma série de reuniões comunitárias em distintos setores do Município, em pontos denominados como Região Norte-Sul; Leste-Oeste; Central; e, Rural, para discutir estratégias e ações do Plano Local de Habitação de Interesse Social (PLHIS) de Uruaçu.
Trata-se de sequência dos trabalhos iniciais e, o PLHIS é um instrumento de implementação do Sistema Nacional de Habitação (SNHIS) que visa promover o planejamento das ações do setor habitacional de forma a garantir o acesso à moradia digna, a expressão dos agentes sociais sobre a habitação de interesse social e a integração dos três níveis de governo (federal, estadual, municipal).
Membros da equipe técnica municipal acompanharam as atividades, que foram desenvolvidas com o objetivo de capacitar a população para o fortalecimento da participação social e, colher sugestões para se estabelecer as estratégias e ações para resolver os problemas habitacionais.
Este ciclo de atividades encerrou-se com a realização de audiência pública transcorrida dia 7, 9h no plenário Antônio de Freitas Carvalho, da Câmara Municipal, onde foi apreciado e pactuado o denominado Produto 3 - Estratégias e Ações, última etapa do plano de habitação, que foi avaliado e aprovado pelos presentes.

Sonho habitacional
Conforme já foi divulgado neste espaço, o governo federal visa ajudar milhões de brasileiros conquistarem a realização de um dos maiores sonhos de suas vidas: a obtenção da casa própria, ideal que as famílias tentam alcançar ao longo da vida. Como se sabe, Uruaçu; e, a Prefeitura de Uruaçu, via Secretaria Municipal de Habitação (SMH), estão inscritos em distintos programas habitacionais do governo federal.
Da mesma forma, da gestão estadual, além de ter um projeto habitacional próprio - Casa do Mutirão -, por meio da Secretaria Municipal de Promoção Social (SMPS).

Transcrito, sem adaptações. Assessoria de Comunicação Social (ASCOM) da Prefeitura de Uruaçu
Reportagem e edição: Jota Marcelo
Postagem: Marquim do SitePrefeitura de Uruaçu, 14/12/11

Chiquinho protocola ação no TRE reivindicando mandato

Notas veiculadas pelo jornal Diário da Manhã,
em 11 de dezembro

Chiquinho: protocolo de ação reclamando a perda
do mandato de Isaura Lemos

Suplente de deputado uruaçuense, ao deixar
o TRE em 28 de novembro

Chiquinho mostra documentos, parte integrante do
processo: um calhamaço - Mais fotos, abaixo

Em 11 de dezembro a coluna Fio Direto, do jornal Diário da Manhã e editada pelo jornalista-advogado Welliton Carlos, considerou Francisco Carlos de Carvalho (Chiquinho, PDT) “um político de peso”, ao focar em duas notas o embate político evidenciado nesta reportagem que se inicia.
Brincando com o peso que de fato possui - os quilos apontados pela balança -, apesar da sua baixa estatura (daí a alcunha Chiquinho), atendendo no dia seguinte a reportagem do JC disse o personagem da política nortense-goiana estar atualmente tratando com unhas e dentes de assunto que envolve Davi e Golias, com o mesmo representando a figura de Davi, mas com detalhe vital: suas iniciativas são tomadas com alto profissionalismo e determinação.
Sem rodeios, reivindicando direitos dentro dos trâmites legais e com posse o mais rápido possível, o suplente de deputado estadual de base eleitoral em Uruaçu - Chiquinho - protocolou ação na tarde de 28 de novembro, no Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Ele reclama a perda do mandato por infidelidade partidária e, consequente diplomação e posse da deputada estadual Isaura Lemos, que trocou o PDT pelo PC do B dia 7 de outubro.
Através do repórter/repórter-fotográfico Marcello Dantas, o JC, que no 28 de novembro tomou conhecimento do procedimento horas antes, marcava presença na sede do órgão quando o pedetista chegou ao local, situado no Centro de Goiânia, junto a praça Cívica. O protocolo, de número 100.008/2011, transcorreu às 17h13.
Questionado na oportunidade se o fundamento da ação é consistente, ele disse não ter “nada contra a deputada e nem contra ninguém”, e, que está “lutando por um direito natural” dele. Isaura Lemos havia entrado com ação no TRE em outubro solicitando justa causa para a desfiliação devido se considerar expulsa do PDT, conforme informa ofício do PDT regional enviado a Isaura Lemos, datado de 23 de setembro.

Coletiva
Durante entrevista coletiva de 7 de dezembro, Chiquinho, vereador uruaçuense em primeiro mandato, esclareceu: ao contrário do que determinadas pessoas entenderem dias atrás, o TRE não julgou a causa, dando vitória para Isaura Lemos. Da mesma forma não arquivou o processo. Os atos havidos se referem puramente à ação de justa causa que a deputada propôs para justificar a saída dela do PDT, com o objetivo de não ser condenada com perda de mandato. “Minha ação é justamente para provar que não existiu a expulsão e que tudo foi armação entre a deputada e o PDT. Como exemplo mais claro, cito a fabricação da falsa reunião, com edição de ata também irreal, onde supostamente a pauta teria tratado da expulsão da mesma. Não teve essa reunião”, salienta Chiquinho.
Versão de Isaura Lemos diz que tudo foi cumprido à risca (e o assunto teria chegado ao PDT nacional, presidido por Carlos Luppi), sem, porém, detalhar as citadas não presenças dos deputados na reunião de 20 de setembro. “A iniciativa da deputada se baseia numa falsa expulsão, algo combinado entre ela e o PDT, para se proteger de ações futuras”, expõe o uruaçuense.
Convidados pelo suplente, o prefeito de Uruaçu, Lourencinho (PP); vereadores, como Rones Maia (PR), Robson Pimentel (PP) e Sil (PP); e, doutor Edenval Fonsêca, advogado, presenciaram as declarações fornecidas à imprensa na coletiva.
Na mesma ocasião, o pedetista afirmou que em caso de se tornar deputado estadual olharia com especial atenção por Uruaçu e pelas demais cidades do Norte de Goiás, além de outros Municípios. Ele esclareceu também que em hipótese alguma mudaria de Uruaçu.
Reconhecendo ter sido Lourencinho o único prefeito que lhe ajudou na campanha 2010, Chiquinho revelou que na condição de deputado iria contribuir ao máximo para ajudar a Administração 2009-2012, “também a 2013-2016, pois se já luto muito por nossa cidade, imagine sendo deputado”, frisou.
Chiquinho disse também que se tornando parlamentar estadual integraria “sem dúvida” a bancada de apoio do governador Marconi Perillo (PSDB). “Eu sempre caminhei com o Marconi, inclusive em 1998, quando ele tinha apenas três por cento de intenção de votos.” Falando sobre o ocorrido em 2010, quando no primeiro turno apoiou outro governadoriável, disse que naquele momento tomou tal decisão no sentido de não atrapalhar o pool de investimentos que Uruaçu estava recebendo, se referindo à parceria de então entre a administração estadual e o Município.
Após a coletiva, o JC quis saber de Chiquinho como avalia as críticas em cima desse fato, com ele acompanhando Lourencinho na decisão. “Estamos em direção das campanhas de 2012 e 2014, mas algumas pessoas ainda estão ‘paradas’ nas ‘Eleições’ de 2010. Tem que parar de querer mandar no governador, falar pelo governador. O governador é dos goianos e dos uruaçuenses. Ninguém, A ou B, manda nele não”, rebateu.
Prosseguindo, descreveu: “Basta pegar declarações minhas de antes e durante a campanha do ano passado, que verão o meu respeito total perante esse grande líder chamado Marconi Perillo. Eu nunca atrapalhei o Marconi em nada. Pelo contrário, com muito orgulho o ajudei. É pessoa com quem tive contato inicial lá na época em que ele integrava o PMDB Jovem e em Uruaçu marcava presença. Onde me vê, me reconhece. Quando ele conheceu, começou a namorar a Valéria Perillo em Uruaçu [esposa, primeira-dama de Goiás], eu estava ali, junto, participando do evento do PMDB Jovem no galpão do CNSA [Colégio Nossa Senhora Aparecida, de Uruaçu]. Não tenho problema algum com o Marconi, a quem apoiei no segundo turno da Eleição do ano passado.”

‘Bem assessorado’
Procurado se o embate na Justiça com a detentora de quarto mandatos não é desgastante, Chiquinho disse que está “bem assessorado” e que “como apaixonado pela cidade de Uruaçu e pela região Norte goiana, jamais poderia ficar de braços cruzados diante de uma causa como esta. Tenho a dizer que o PC do B já é um partido constituído, por isso ela sempre soube que correria o risco de perder o mandato, através dessa mudança de partido.”
Detentor de 11.199 votos e hoje suplente imediato do PDT na Assembleia Legislativa do Estado de Goiás, Chiquinho providenciou também protocolar, em 7 de dezembro, ação perante o Ministério Público Eleitoral (MPE), em Goiânia, pedindo para que sejam apuradas as reais circunstâncias em que ocorreu a mudança partidária da deputada.
Fontes jurídicas consultadas pela reportagem analisam que, juntamente com a resposta do TRE, o resultado da apuração da investigação do MPE sobre o que poderia ser um falso processo de expulsão de Isaura Lemos do PDT - iniciativa hipoteticamente patrocinada pelas executivas estadual e nacional da sigla -, daria razão para o uruaçuense ganhar acento no Parlamento goiano.
Manoel de Oliveira Mota é um dos profissionais jurídicos que advoga em favor de Chiquinho. Ao justificar que o reclamante tem direito de assumir, ele chega a afirmar que a perda do mandato, por parte de Isaura Lemos é certa, uma vez que a mesma deixou o PDT e se filiou ao PC do B sem motivos que justificassem isso. Manoel Mota, que morou muitos anos em Uruaçu, cidade central pela qual se elegeu deputado estadual nos anos 1980, auxilia na causa juntamente com outros advogados.

Legitimidade
Em declaração ao jornalista Ivan Mendonça, editor da coluna Política em Análise, do jornal goianiense O HOJE, edição de 19 de novembro, Manoel Mota afirmou: “A troca de partido só é permitida em caso de fundação de um novo partido.” Vendo infidelidade, levantando suspeitas de arranjo político, incluindo cumplicidade da cúpula partidária, disse também o advogado ao colunista: “Ninguém ficou sabendo desta expulsão, não se tem notícia de defesa ou coisa parecida, tudo está nebuloso, principalmente porque foi esgotado o prazo de 30 dias para reclamação e não apareceu ninguém interessado. É por isso que estamos provocando o MPE para investigar tudo.”
Na mesma nota está, em afirmação de Ivan Mendonça: “Segundo ele [Manoel Mota], o vereador de Uruaçu tem legitimidade para reivindicar o mandato, uma vez que o principal interessado, Maurides Rodrigues do Nascimento, o primeiro da lista de suplentes do PDT, encontra-se filiado ao PSDB desde o dia 6 de outubro deste ano, conforme certidão expedida pelo TRE. Ele é de Minaçu e obteve 15.188 votos na última ‘Eleição’.”

Reunião, um embuste
Em relação ao comentário de Manoel Mota - “Ninguém ficou sabendo desta expulsão, não se tem notícia de defesa ou coisa parecida, tudo está nebuloso...” -, na ação está evidenciada a não crença da parte requerente (Chiquinho) perante o citado processo de expulsão, com certa particularidade: a de que uma reunião de 20 de setembro para tratar do assunto (expulsão) jamais existiu, conforme dizeres de uma ata, que atesta ter ocorrido tal encontro, com a ordem do dia sendo expulsão da deputada estadual Isaura Lemos e da vereadora Tatiana Lemos (filha dela), na sede da comissão provisória do PDT, localizada na rua T-47, quadra 34, lote 21, número 783, setor Bueno, em Goiânia.
Se de um lado existe a afirmação de que fora realizada a reunião, de outra não. A reportagem transcreve trecho constante na ação movida por Chiquinho: “Não resta nenhuma dúvida que tal reunião não existiu e que tudo não passou de um embuste [mentira de cunho artificioso], cujo único objetivo era tentar demonstrar a existência de justa causa que assegurasse à deputada Isaura Lemos se desvincular do PDT, como era do seu interesse.”
Sugerindo que a ata da reunião é falsa, também consta na ação o jargão mentira tem pernas curtas e que não há crime perfeito.
A ata do PDT goiano assegura ter havido quórum necessário para a realização da reunião, argumento contestado pela ação de Chiquinho, que justifica entre outros motivos:
-A presidente regional do partido, deputada federal Flávia Morais, sequer estava em Goiânia naquela data e naquele horário. A mesma, segundo a ação, estaria participando de atividades da Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados, da qual faz parte como suplente. Acesse (clicando aqui - http://www.camara.gov.br/internet/ordemdodia/integras/921648.htm) a ata da reunião da CSSF e confirme: Flávia Morais se fazia presente em Brasília e, não em Goiânia. “Já os deputados estaduais Misael de Oliveira e José de Lima, os dois também do PDT, estavam no plenário participando de sessão da Assembleia Legislativa [do Estado de Goiás], conforme consta nos registros daquela Casa de Leis e do Diário Oficial”, garante Chiquinho.
Através da sua Editoria-chefe, o JC procurou saber porque os dois deputados assinaram a ata da reunião de expulsão confirmando presença. Como resposta, obteve a informação de que Misael de Oliveira e José de Lima assinaram a segunda/última via da ata da reunião daquele 20 de setembro sem o devido duplo cuidado de conferirem a parte restante do citado documento (um erro que faz parte da classe política brasileira).
Também cravaram assinaturas além deles e da presidente regional, os membros Paulinho Graus, vereador por Goiânia; Róbson Alves; e, doutor George Morais (esposo de Flávia).
Tão logo Isaura Lemos desfilou do PDT, no início de outubro, começaram a surgir comentários em Uruaçu, Goiânia, Brasília e outros centros sobre a possibilidade de Chiquinho ingressar com a ação.
Essa espécie de instauração de procedimento que visa apurar existência de simulação, fraude em processo de expulsão de políticos e, consequente filiação em outra sigla, o que configura burla a legislação eleitoral, se tornou comum no País em função do troca-troca partidário, muito disso se devendo ao fato de 2012 ser ano de pleito eleitoral municipal, com interesses pessoais saltitantes. Como o caso focado trata de hipotética expulsão, obviamente o PDT não adentraria a Justiça Eleitoral, reivindicando o mandato que lhe pertence, abrindo o precedente para Chiquinho.
Leia mais sobre o assunto, nas submatérias.

Documentação clara e papel da mídia

Chiquinho, durante entrevista coletiva: “Apenas
cumpro o meu papel, que é lutar por Uruaçu”

Massificando o fato de estar bem fundamentado documentalmente, o suplente de deputado estadual Chiquinho (PDT) diz não guardar mágoa do PDT e de ninguém. “Apenas cumpro o meu papel, que é lutar por Uruaçu.” Durante entrevista coletiva concedida dia 7 de dezembro ele disse respeitar a deputada estadual Isaura Lemos (PC do B), “da mesma forma que todas as pessoas. Tanto que tempo atrás apresentei indicação na Câmara Municipal, aprovada, concedendo ‘Título de Cidadania’ para ela’.”
Especificando possuir farta documentação que pode ser mostrada para todos os interessados em vê-la, Chiquinho não cansa de afirmar que o processo de saída do PDT e filiação no PC do B de Isaura Lemos apresenta irregularidades visíveis, ferindo a legislação eleitoral. “Por isso, o primeiro suplente dela, que sou eu, naturalmente tem o direito de assumir.”
Entre o calhamaço de comprovantes, datado de 7 de dezembro, o documento Acompanhamento Processual e PUSH, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), com o respectivo número único de processo (137935.2011.609.0000, fruto do protocolo 1000082011, de 28 de novembro), já mostrava em sua distribuição que dia 6 de dezembro foram expedidas notificações aos requeridos Isaura Lemos, PDT e PC do B. Um motivo a mais para Chiquinho comentar que o processo está correndo, “e, não, foi arquivado”, chama atenção o uruaçuense.
A reportagem veicula também outros documentos.

Papel da mídia
Chiquinho comenta que enquanto existem pessoas e representações que gostariam de censurar ou banir os veículos de comunicação - inclusive em Uruaçu -, ele milita do outro lado: o dos que valorizam e reconhecem a relevância da mídia em geral. Mídia que não pode ser responsabilizada, por exemplo, pela queda de ministros e outros agentes públicos corruptos. A mesma mídia que não pode se acovardar diante de fatos verdadeiros do cotidiano.
Fica a deixa: quem é pilhado praticando maracutaias e é exonerado nada mais passa de simples figura culpada por ter existido clareza de envolvimento próprio com irregularidades. Como disse Fernando Henrique Cardoso dia desses, referindo-se aos então ministros da presidente do PT, “caem porque têm culpa no cartório”. Em doze meses da gestão Dilma Rousseff, sete ministros foram expurgados: Antonio Palocci (Casa Civil), Alfredo Nascimento (Transportes), Nelson Jobim (Defesa - único que não foi por ter cometido falcatrua, mas sim por tecer críticas ao próprio governo federal), Pedro Novais (Turismo), Wagner Rossi (Agricultura), Orlando Silva (Esporte) e Carlos Luppi (Trabalho). “Se o erro é descoberto, a imprensa tem mais é que veicular a notícia, denunciar as irregularidades”, assinala o vereador de Uruaçu.
“Por isso, eu estou mantendo contatos com os veículos de comunicação, por isso convoquei essa entrevista coletiva, pois a mídia pode ajudar no desfecho desse caso, em que a irregularidade está comprovada. Peço a compreensão para que todos possam noticiar os acontecimentos dessa causa. Nenhum documento ligado ao processo é sigiloso e, é possível consultar todo o processo em qualquer dia”, esclarece o suplente de deputado estadual.
Chiquinho também não perde a oportunidade para pedir que os uruaçuenses se portem e pensem de forma positiva sobre a possibilidade de a cidade ganhar uma cadeira no Palácio Alfredo Nasser, sede da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás. “Na verdade, uruaçuenses e não uruaçuenses, todos na torcida para que Uruaçu se desenvolva mais e mais com um representante na Assembleia”, incentiva o pedetista.

Cópia de documento que consta na ação: ata, que seria
falsa, daquela que seria uma falsa reunião...


...Ofício da presidente regional Flávia Morais enviado à
deputada Isaura Lemos comunicando a tal expulsão

Isaura Lemos solicitou justa causa


Isaura Lemos afirma que a mudança partidária foi com justa
causa, mas documentos provam irregularidades

Ao se desligar do PDT, em 7 de outubro, a deputada estadual Isaura Lemos alegou ter tomado a decisão por se sentir expulsa da referida sigla e protocolou ação no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), em Goiânia, solicitando justa causa para a desfiliação.
Quando do encerramento do prazo de filiações de pré-candidatos ao pleito eleitoral do próximo ano, na tarde do dia 7 de outubro na sede do diretório estadual do PC do B, na capital, Isaura Lemos, que é pré-candidata a prefeita de Goiânia, afirmou: “Estamos seguindo recomendação do diretório nacional [do PC do B] de lançar nomes em todas as capitais, mas sabemos que essa decisão não sairá agora.”
A parlamentar não só retornou ao PC do B, onde iniciou carreira política, como também foi acompanhada pela vereadora goianiense e filha Tatiana Lemos. O marido de Isaura Lemos, o ex-vereador por Goiânia, Euler Ivo, havia trocado o PDT pelo PC do B no início deste ano.
Desde que a deputada federal Flávia Morais assumiu o comando do PDT (meio que compartilhado com Isaura Lemos), em 2010, farpas internas e externas foram trocadas pelas duas.
Antes das divergências, Isaura Lemos, junto com o esposo, tinha controle total sobre o PDT goiano, pelo qual foi eleita em 2010 com 21.564 votos. Assim que Flávia Morais ganhou força na sigla, foi feita uma intervenção da parte da cúpula nacional no diretório regional.

‘Nova etapa’
Na página eletrônica da filiada do PC do B consta, em alusão ao ato filiação de 7 de outubro:
-De acordo com a deputada Isaura, “o retorno ao PC do B representa um reforço muito bom e é a forma da gente realizar uma nova etapa de política partidária, trazendo para o partido dezenas de lideranças de Goiânia e milhares de lideranças no Estado. Estamos chegando ao PC do B porque acreditamos que é a alternativa para o avanço do nosso Estado, do nosso País”, afirmou. “Que nós façamos agora um trabalho para preparar o nosso partido para uma nova etapa que nós temos que viver, mostrando mais ainda a que viemos, especialmente na luta por um País mais justo, um Brasil socialista”, ressaltou a deputada Isaura, que se encontra em seu quarto mandato e é conhecida por lutar em seu histórico político pela reforma agrária, pelos movimentos sem terra e pelo movimento da casa própria.’.
Procurada por telefone e via mensagem eletrônica, Isaura Lemos não se manifestou. Uma assessora da parlamentar chegou a ligar no celular da Redação deste periódico, firmou compromisso de retornar atendendo aos questionamentos, porém não mais foi localizada e nem retornou aos recados.
Outras informações, a seguir.

Prefeito e vereadores torcem por ascensão ao cargo

Lourencinho, na coletiva: “O Chiquinho ganhando vaga, conseguirá
realizar um bom trabalho para Uruaçu e a região, pois gosta de
trabalhar e é o trabalho que gera crescimento”

Perguntado na entrevista coletiva de 7 de dezembro em Uruaçu, convocada pelo suplente de Chiquinho (PDT), como analisa a possibilidade de a cidade ganhar um deputado estadual, o prefeito uruaçuense Lourencinho (PP) frisou que naturalmente ele e toda a sociedade desejam ter representante na Assembleia Legislativa do Estado de Goiás e que esse fato surgiu por obra do destino, que colocou Chiquinho como primeiro suplente de Isaura Lemos (PC do B), após Maurides Rodrigues do Nascimento (de Minaçu e, agora no PSDB) trocar de partido - ele era o suplente imediato. “Isso, em função da saída da deputada do PDT e devido à legislação eleitoral.”
Comentando que Chiquinho está bem fundamentado e assistido por assessoria jurídica competente, o chefe do Poder Executivo mencionou que o colega tem e apresentou ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e Ministério Público Estadual (MPE) documentação rica em detalhes que tendem convencer os dois órgãos a emitirem respostas que culminarão na conquista da vaga.
Classificando a possibilidade de Chiquinho se tornar deputado algo “muito representativo”, Lourencinho disse que Uruaçu sairia “ganhando consideravelmente em termos de avanços econômico, estrutural e social.”
Expondo que Uruaçu iria se inserir com força maior no mapa político-administrativo goiano, o prefeito lembrou: “São poucos os Municípios que contam com representante na Assembleia. O Norte, infelizmente, não tem nenhum. O Chiquinho ganhando vaga, temos certeza: ele conseguirá realizar um bom trabalho para Uruaçu e para a região, pois gosta de trabalhar e é o trabalho que gera crescimento.”
Da mesma forma que havia feito em particular, Lourencinho desejou boa sorte ao suplente falando aos veículos de comunicação.

Colegas de bancada

Rones Maia: “Ter um deputado é importante para a cidade”

Para Rones Maia (PR), presidente da Câmara Municipal uruaçuense, Chiquinho se tornar deputado estadual representaria Uruaçu se desenvolver muito mais do que vem desenvolvendo. “Ter um deputado é importante para a cidade e eu tenho certeza de que ele lutaria de todas as formas para ajudar esta cidade e o seu povo, lado a lado com o nosso prefeito, que tem feito um bom trabalho. O Chiquinho, eu tenho certeza, iria andar junto com o prefeito”, opinou.
Relatando estar torcendo muito por Chiquinho, Robson Pimentel (PP), líder do prefeito na Câmara Municipal, pontua: a importância da alçada do colega até a Assembleia influenciaria positivamente nas decisões sobre a relação Governo de Goiás-Uruaçu em todos os sentidos, com a população sendo centro de conquistas vitais.
Dizendo que Uruaçu “sofre consequências negativas por não ter um deputado”, o vereador José Rosa (PSD) enxerga que com Chiquinho na Assembleia “a região Norte daria passos avançados, mostrando força e conseguindo benefícios com maior facilidade.”
O vereador Pastor Noraldino Reis (PR) salienta que a possibilidade de Chiquinho se tornar deputado abre grandes oportunidades para Uruaçu se desenvolver com ritmo ainda maior, ao mesmo tempo em que um sentimento de melhoras coletivas tomaria conta da população, com o espírito de união fluindo de maneira mais determinada. “Eu vejo que contando com um deputado, Uruaçu mais que conseguiria recursos para a realização de obras. A nossa cidade, creio, iria se portar diferente, para melhor.” Ele disse a Chiquinho que se não está diretamente lidando com o processo em si, tem pedido intercessão para quem determina tudo, que é “Deus”.
Deixando claro estar torcendo por Chiquinho, o vereador Joeli do Salão (PMDB) diz depositar “grande confiança no trabalho do uruaçuense exercendo o cargo de deputado estadual.”
Leia mais, adiante.


Vereador atuante e pré-candidato a prefeito

Usando a tribuna do Legislativo uruaçuense dias 28 de
novembro e, 7 de dezembro (foto), Chiquinho informou que
havia dado entrada com ações perante o TRE e MPE

Líder do prefeito de Uruaçu, Lourencinho (PP), na Câmara Municipal até a primeira quinzena de novembro, Chiquinho se declarou recentemente pré-candidato a prefeito da cidade, dentro das Eleições/2012. “É um direito legítimo que eu tenho, da mesma forma que outras pessoas estão expondo os seus nomes. Só que isso não significa que eu esteja brigado com o prefeito não!”, disse.
Ao discursar na tribuna da Casa de Leis na noite de 21 de novembro durante sessão ordinária, o vereador afirmou se sentir honrado por ter sido líder do chefe do Executivo durante quase dois anos; que votaria normalmente projetos - enviados pela Prefeitura -, de interesse público da comunidade; que permaneceria com intuito de defender o gestor municipal na tribuna todas as vezes em que ele fosse atacado injustamente, “seja por quem for”; e, que continuaria amigo de Lourencinho e da família do mesmo.
Voltando à tribuna nas sessões de 28 de novembro e 7 de dezembro, Chiquinho comunicou que havia dado entrada com as ações, reivindicando o mandato de deputado estadual, junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE); e, solicitando investigação da parte do Ministério Público Estadual (MPE), conforme exposições constantes na reportagem principal.

Trabalho de destaque
Chiquinho é considerado publicamente um dos vereadores mais atuantes da região Norte de Goiás. Em 2009, foi eleito presidente do Poder Legislativo uruaçuense de maneira unânime e, neste 2011 é o primeiro suplente da mesa diretora, presidida pelo edil Rones Maia (PR).
Além das campanhas 2010 (para deputado estadual) e 2008 (vereador), ele havia concorrido a vereador em 1982 e 1988 pelo PT; e, em 2000 pelo PSDB.
Assim que deixou a sede do TRE em 28 de novembro, Chiquinho, que preside o PDT em Uruaçu, disse ao JC: “Muitas pessoas estão me procurando nesses dias que podem resultar como os mais importantes da recente história político-administrativa do Município de Uruaçu. Agradeço todas as manifestações, da mesma forma esse espaço que espontaneamente o Jornal Cidade está abrindo para que eu possa me pronunciar. Peço se possível, que ao editar a reportagem meus contatos sejam publicados.”
Atendendo ao pedido, a reportagem informa: residência: (62) 3357-5589; celular (62) 9963-9760; e-mail f-carlos-carvalho@uol.com.br.
Nas versões on-line e impressa o JC continuará acompanhando os acontecimentos e, o desfecho do caso.
Uruaçu 14/12/11 - (Jota Marcelo. Colaborou, em 28/11/11: Marcello Dantas - JC On-line)

sábado, 26 de novembro de 2011

Campanha contra a febre aftosa vai até dia 30 de novembro


Todo o gado de zero a 24 meses tem que ser vacinado contra
a aftosa até 30 de novembro. Na foto, o governador
Marconi Perillo vacinando um bovino
 Em Uruaçu, vacina a ser usada pode ser adquirida em pontos
comerciais diversos, como na loja A Ruralista - Abaixo, série
de material publicitário que divulga a campanha,
além de outros esclarecimentos

A Campanha Nacional de Vacinação Contra a Febre Aftosa se estende até o próximo dia 30 de novembro.
Sediado em Uruaçu, o Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Integrado Serra da Mesa (Cidisem) é um dos parceiros do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e da Agência Goiana de Defesa da Agropecuária (Agrodefesa/Governo de Goiás) na divulgação, conscientização de que é vital a atenção do produtor para com o assunto. O Cidisem agrupa 13 Municípios e é presidido pelo prefeito de Uruaçu, Lourencinho.
Segundo Lourencinho, mais que olhar para a questão da obrigatoriedade, é preciso que todos obedeçam ao calendário oficial e anual do Ministério de forma persistente. “Temos que concentrar esforços ao máximo para que o Norte de Goiás e Goiás por inteiro tenham dias sem problemas no que se refere à febre aftosa. Tanto a Prefeitura de Uruaçu, com a Secretaria da Agricultura [Secretaria Municipal da Agricultura, Pecuária e Aqüicultura, a SEPAQ], como o Cidisem, procuram ajudar. Somos parceiros de primeira hora do Ministério, da Agrodefesa e dos produtores.”
Neste novembro a campanha se desenvolve em 19 Estados brasileiros. A meta é aplicar a vacina em aproximadamente 160 milhões de bovinos e bubalinos. Existe a expectativa de que as vacinas obtenham representativos porcentuais, semelhante ao mês de maio quando 98,7 por cento dos animais foram medicados.
Nesta etapa, todo o gado com idade de zero a 24 meses tem que ser vacinado. Até o final do ano passado a vacinação era feita em duas etapas, em 100 por cento dos rebanhos bovino e bubalino, uma em maio e outra em novembro.
Em Goiás, na manhã de 31 de outubro, o governador Marconi Perillo (PSDB) lançou a segunda etapa, em solenidade realizada na fazenda Vagem das Flores, localizada no quilômetro 39 da rodovia GO-320, no trecho entre as cidades de Joviânia e Bom Jesus e Goiás. Participaram do evento o secretário da agricultura, pecuária e irrigação do Estado de Goiás, Antônio Flávio; o presidente da Agrodefesa, Antenor Nogueira; o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Goiás (Faeg), José Mário Schreiner; produtores rurais; políticos; e, populares.

Aval da OIE e portaria
A decisão tem o aval da Organização Internacional de Epizotias (OIE), o que melhora a imagem e a comercialização da carne produzida em Goiás. “É um avanço, uma conquista para o atual governo. Nós esperamos que esse seja o primeiro passo para que Goiás se torne definitivamente livre da febre aftosa sem vacinação. Assim, Goiás vai abrir mercado para Países que agreguem maior valor ao nosso produto”, destaca o secretário da Agricultura.
O governador assumiu o compromisso de buscar o título de Estado livre da aftosa sem vacinação. “Zona livre de aftosa com vacinação, com o ‘Certificado’ entregue em 2000, representou um crescimento extraordinário das exportações da carne bovina goiana para todas as partes do mundo. O novo desafio é termos zona livre sem vacinação. O primeiro passo estamos dando aqui, hoje, em Joviânia”, diise Marconi Perillo, no lançamento, para também ressaltar: “Isso vai nos ajudar muito a colocar a nossa carne, o nosso produto, nos mercados do mundo inteiro, mas também vai nos trazer uma economia de R$13 milhões aproximadamente.”
A Portaria número 1410/2011, da Agrodefesa, estabelece o período de 1º a 30 de novembro de 2011, como calendário oficial para vacinação de bovinos e bubalinos; determina a realização da campanha de vacinação contra a raiva dos herbívoros com idade até 12 meses nos 119 Municípios listados na Instrução Normativa 001/2005; autoriza, no período de 28 de outubro a 30 de novembro, a comercialização das respectivas vacinas em todos os Municípios do território goiano, devendo a comprovação de vacinação ser preenchida com data a partir de 1º de novembro; condiciona as antecipações de vacinação à analise prévia dos gerentes regionais; proíbe, no período de 1º a 8 de novembro, a realização de leilões.

Rebanho bovino
Em dados da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação do Estado de Goiás (Seagro), o rebanho bovino goiano é de aproximadamente 21 milhões de cabeças, sendo que 10 milhões têm até 24 meses. Os Estados de Mato Grosso, do Mato Grosso do Sul e parte de Minas Gerais também terão vacinação parcial em novembro. No Brasil, apenas Santa Catarina é considerado Estado livre da aftosa sem vacinação. Goiás está livre da doença desde agosto de 1995.
A multa para quem não vacinar o gado é de R$7 por cabeça. Esse valor dobra em caso de reincidência. Na campanha de maio deste ano, a vacinação atingiu os 99,34 por cento do rebanho. O Governo de Goiás, por meio da Agrodefesa, tem, on-line, os dados dos produtores, a localização geográfica, o nome da propriedade rural, o CNPJ e o CPF. O produtor que não vacinou seu rebanho na primeira etapa da vacinação contra febre aftosa, este ano, realizada no mês de maio, será assistido por técnicos da Agrodefesa, para a garantia de que os animais sejam imunizados.



Uruaçu 25/11/11 - (Jota Marcelo - JC On-line. Com atualizações)

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Vereador Rones Maia incentiva esporte e iniciativa assistencial


Presidente da Câmara Municipal de Uruaçu, edil
Rones Maia,
é incentivador do setor esportivo
e de iniciativas assistenciais

Nascido em família humilde, onde os filhos tiveram que se dedicar ao trabalho, ficando o estudo completo em segundo plano, o hoje vereador Rones Maia (PR) guarda a lembrança da infância, juventude, se estendendo aos dias atuais, quando o assunto é abdicar de certas vontades e necessidades.
Presidente da mesa diretora atual e reeleito para 2012, o parlamentar se destaca no exercício das funções dele na Câmara Municipal de Uruaçu, entre outros fatores, pelo incentivo, apoio ao setor esportivo e para iniciativas de cunho assistencial. Seja de forma coletiva, ao lado dos demais colegas de Legislativo, ou de maneira individual.
A seguir, dois exemplos dessa dedicação do vereador.

‘Copa Umbelino’
Tradição em Uruaçu, a realização de Torneios e Copas futebolísticos prosseguem, através das iniciativas pública e privada.
Promovida pela Secretaria Municipal de Desporto e Lazer (SMDL) e contando com apoio de Rones Maia, dia 25 de novembro será realizada a 1ª Copa Umbelino Lucas França de Futsal 2011, competição agendada para o ginásio de esportes Pássaro Grande.
Para o vereador, é uma honra poder ajudar para com a realização da Copa que homenageia um dos principais desportistas que Uruaçu já teve: o atacante Umbelino, morto no primeiro semestre.
Os dois, que eram amigos, formaram dupla de ataque pelo Vera Cruz, extinto time de futebol de campo uruaçuense que fez sucesso no final dos anos 1970 e início dos anos 1980.
A premiação da Copa é a seguinte:
1º lugar: troféu, medalha, uma bola e R$300
1º lugar: troféu, medalha, uma bola e R$200
1º lugar: R$100
Outras informações sobre a competição podem ser obtidas na Pasta esportiva do governo Lourencinho, com os servidores Mauriley Rabelo e Cláudio Cunha - 3357-4100 ou 4118.

‘Mãe Uruaçuense’
Comentando ações assistenciais ofertadas pela Prefeitura de Uruaçu dentro da Administração 2009-2012, o vereador Rones Maia aborda o projeto Mãe Uruaçuense, que já ajudou/formou sete turmas e, no qual gestantes moradoras de Uruaçu que não têm condições financeiras recebem apoio da Prefeitura, via iniciativa implantada no início do mandato Lourencinho. Durante o período de gestação, as grávidas recebem variadas ajudas, como assistência médica e psicológica; oportunidade de evangelização; de geração de emprego e renda; enxoval para o bebê; conscientização, valorizando a higiene, o meio ambiente. Além de outras orientações, como o repasse financeiro de R$50. Outras informações sobre o projeto, coordenado pelo Centro de Referência de Assistência Social (CRAS): 3357-5186 ou 4137.
“Na história de Uruaçu, nós só temos que parabenizar o prefeito Lourencinho; a secretária [municipal] da Promoção Social, Ivone [‘Dona’ Ivone Cândida]; e, não podemos esquecer do ótimo trabalho que a primeira-dama Magalli Pereira realizou a frente da Secretaria [Municipal de Promoção Social], inclusive ela voltava enorme atenção para o Mãe Uruaçuense.”
Rones Maia, que há anos também desempenha atividades que resultam em ajudas assistenciais aos carentes, salienta que Uruaçu nunca teve um apoio tão determinado com esse nível e tamanho. “As mães de Uruaçu hoje, graças a Deus, são amparadas pela Prefeitura, pela Secretaria de Promoção Social. Então Uruaçu só tem a ganhar e, a cada dia essa Secretaria tem surpreendido mais, oferecendo grandes e importantes benefícios. Hoje vemos apoios assistenciais nunca antes vistos em nossa cidade. Parabéns a todos!”, finaliza o vereador.

Uruaçu 16/11/11 - (Transcrito, com adaptações, do site da Câmara Municipal de Uruaçu/ASCOM - Reportagem e edição: Jota Marcelo)

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Lourencinho: curso gerador de rendas

Salientando que o curso de Engenharia Civil, conquistado pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG) - Campus Uruaçu, é muito disputado, atrai novas tecnologias, e que vem de encontro às necessidades de Uruaçu, Goiás e do Brasil, na sessão solene de anúncio da novidade, dia 7 de novembro, no Plenário da Câmara Municipal, o prefeito Lourencinho listou empreendimentos, como as milhares de casas e pontos comerciais edificados na cidade; as obras em andamento e outras anunciadas pelo Governo de Goiás; e, a frente de realizações ofertadas pelo governo federal. “O curso é gerador de rendas, coloca muitos profissionais no mercado de trabalho e isso tem tudo a ver, com o crescimento e desenvolvimento que vemos acontecer em nosso País. Com esse curso, Uruaçu ganha também divulgação mais positiva em nível nacional. Daí mostramos as nossas outras potencialidades, como o turismo”, vaticinou no discurso.Voltando ao tempo, Lourencinho lembrou novamente: ao pedir a parte restante do complexo de prédios do então centro Administrativo, o IFG também recebeu pedido: o de que um curso top fosse implantado em Uruaçu. Dentro da boa relação e de respeito grande, esse pedido foi feito veementemente pelos vereadores da Legislatura 2005-2008, com então vereador (e hoje prefeito) Lourencinho se dedicando de forma especial ao assunto, ladeado por todos os colegas de Câmara. “Não duvidei em nenhum momento de que Uruaçu conseguiria uma vitória nesse sentido, pois sei da responsabilidade e seriedade dos dirigentes do Instituto, entidade de ensino superior séria. É com orgulho e satisfação que vejo o reitor Paulo César resgatar esse compromisso com Uruaçu e, anunciar a criação do curso de engenharia civil.”, mencionou.


“Nossa cidade passa por um momento favorável e não para de receber boas notícias, isso nos traz muita alegria, mas ao mesmo tempo traz outras responsabilidades para que possamos continuar com todo esse trabalho”, alertou o prefeito, que encerrou a fala memorizando que certa vez comentou com um estadista sobre a doação de bens imóveis para o IFG, que sinalizava oferecer um curso do porte do que agora foi liberado. “Eu até citei que poderia ser engenharia civil”, narrou Lourencinho, para continuar: “Vereador por dois mandatos no passado, esse estadista, que me reservo falar o nome dele, disse: ‘Sessão de Câmara a gente realiza até debaixo de pé de pequi. Mas um curso de engenharia, e de graça, a gente não pode perder de jeito nenhum!’.”



‘Dinâmica regional’

Se manifestando dias antes do evento, o diretor-geral do Campus Uruaçu, Ubaldo Eleutério da Silva, disse ao Jornal Cidade, sediado em Uruaçu, que o IFG é um “elo transformador da dinâmica regional” e que o novo curso “é um marco histórico”. Adiantando que a implantação do mesmo possibilitará que os estudantes pleiteantes a engenheiros de Uruaçu e da região, muitos dos quais adolescentes, não necessitem deixar suas famílias e partir para outros centros como Brasília-DF, Anápolis e Goiânia, em busca do sonho de cursar uma Engenharia Civil, “logo, Uruaçu se coloca na perspectiva real de transformar-se num polo universitário, visto o grande avanço, no sentido de ofertar ainda mais cursos superiores, das demais instituições de ensino da cidade, públicas e privadas”, completou.Ao ser questionado pelo periódico quando a estrutura móvel referente ao curso chegaria, o educador informou: “O fato de já termos formado três turmas do curso técnico subsequente em Edificações, o qual é um curso da mesma área que Engenharia Civil, nos deixa numa condição muito confortável. Podemos dimensionar que atualmente contamos com 70 por cento de toda a estrutura física. Aqui falo salas de aula, laboratórios, livros, além de outros equipamentos para aulas práticas em campo e, também de recursos humanos, ou seja, professores específicos para o curso. Nosso planejamento é que já no segundo ano de funcionamento do curso, lá pelo quarto período, já possamos estar com 100 por cento da estrutura física e de recursos humanos necessários para que o curso funcione plenamente.”

Mais informações no site do JC, em MUNICIPAIS e AGENDA POLÍTICA.


Uruaçu 14/11/11 - (Transcrito, com adaptações, do site da Prefeitura de Uruaçu/ASCOM - Reportagem e edição: Jota Marcelo. Com atualizações)

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Imagem de José Eliton ganha espaço e confiança


José Eliton Júnior: credenciais para ser reconhecido junto
aos funcionários da estatal, aos colegas de governo e
opinião pública como um administrador de alto gabarito

Nos dez primeiros meses da nova administração de Marconi Perillo, o governo tucano já consolidou a sua maior revelação ao povo goiano: o vice-governador e presidente da Celg, José Eliton Júnior (DEM). O modelo de gestão implantado na Celg, preparando a companhia energética para arrancar decididamente assim que a houver o aporte de recursos pleiteado junto à Furnas Eletrobras, deu ao vice-governador credenciais para ser reconhecido junto aos funcionários da estatal, aos colegas de governo e opinião pública como um administrador de alto gabarito.
A mesma desenvoltura já foi demonstrada também na atuação política do vice-governador, a principal ponte do DEM do deputado federal Ronaldo Caiado com o governo marconista. Apostava-se que a aliança de Marconi com Caiado seria efêmera, duraria apenas os primeiros meses de 2011.
Segundo os principais observadores políticos, no entanto, a cada mês a aliança se torna mais sólida e pronta para atravessar sem solavancos os anos eleitorais de 2012 e 2014. A principal responsabilidade pela boa convivência entre as duas correntes, adversárias ferrenhas até as convenções pré-eleitorais do ano passado, é a atribuída a José Eliton.
Com maestria, sinceridade e competência administrativa o vice-governador, pelos fatos noticiados até agora, tem sido uma ponte de concreto bem armada. Sua ética no trato com a administração pública, com as diversas lideranças partidárias e colegas de governo acabou por conquistar de vez a confiança tanto do governador Marconi Perillo quanto a der Ronaldo Caiado e todos os representantes dos partidos que compõem a base do governo tucano.

Três vezes governador
A maior prova da confiança depositada em José Eliton é o fato de Marconi Perillo ter realizado três viagens ao exterior neste primeiro ano de governo. Por 30 dias Eliton comandou o Estado de Goiás mantendo o mesmo ritmo acelerado do titular. Nas três oportunidades o governador em exercício não fugiu de tomar decisões tão importantes quanto pesadas, em perfeita sintonia com o titular em viagem. Nas três vezes Marconi retornou e encontrou relatórios completos e claros de tudo que havia sido feito em sua ausência.
Entre as diversas batatas quentes, José Eliton determinou a suspensão de um importante contrato com uma organização social que começava a administrar o Hospital de Urgências de Aparecida. Diante de suspeitas e enrolação no processo para colocar o Huapa em atividade, ele convocou a imprensa e, ao lado do secretário de Estado da Saúde, Antônio Faleiros, anunciou a decisão. De outra feita, não teve dúvidas em dispensar alguns funcionários e gerentes do setor de saúde do Estado, áreas de urgências. No mesmo tom ele anunciou investigação rigorosa contra desvio de conduta dos referidos servidores, alguns deles ocupando cargo comissionado.
Em outra oportunidade José Eliton recebeu representantes do funcionalismo público, que reivindicavam reajuste, conversou com eles olho no olho explicando porque não poderia atendê-los nos percentuais que almejavam, embora deixando claro que eles merecem mais do que estavam reivindicando. Nos períodos em que esteve à frente do Governo de Goiás, José Eliton assumiu as rédeas como se titular fosse, enviando projetos para serem votados na Assembleia Legislativa do Estado de Goiás, recebendo secretários e acompanhando normalmente o andamento das providências em curso nos diversos órgãos. Na capital feedral Brasília, ele representou Marconi em solenidade com a presidente Dilma Roussef (PT) e num encontro de governador de todo o País, tendo falado com facilidade em nome de Goiás.
Foi por essas e outras que Marconi Perillo apontou seu vice como capaz não só de ser prefeito de Goiânia como de assumir outros cargos ainda mais elevados, ao responder em 8 de novembro a uma pergunta do apresentador Batista Pereira, do programa televisivo Chumbo Grosso. Já no dia 11 de novembro, o vice-governador teve espaço para discursar durante lançamento do programada Rodovida Urbano, num auditório apinhado de prefeitos e outras autoridades políticas. Ao falar aos presentes, Marconi Perillo fez um agradecimento especial “ao doutor José Eliton pela forma reta e eficiente com que vem administrando a Celg, um dos principais desafios deste governo.”

Na Celg
Foi na Celg que José Eliton, um advogado bem sucedido especialista em Direito Eleitoral, mostrou a que veio. Em pouco tempo ele, com uma equipe escolhida a dedo, cortou despesas, otimizou a administração com uma gestão moderna e limpa, refez contratos de prestação de serviços e conseguiu fazer o gigante sair do lugar.
Hoje José Eliton demonstra com números a economia de algumas centenas de milhões de reais, o recolhimento de mais de R$500 milhões em Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) aos cofres do Estado e as contas operacionais totalmente em dia. “Quando assumimos, a Celg estava atrasando os pagamentos em mais de 300 dias, hoje pagamos no máximo até oito dias após o fornecedor ou prestador de serviços apresentar a fatura”, comemora o vice-governador e presidente da estatal.

Uruaçu 11/11/11 (Jota Marcelo - Blog do Jornal Cidade)

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Tocantins: aos 93 anos, morre ‘Dona’ Pupuia


Dona
Pupuia: laços familiares e de amizade em Uruaçu.
Foi a segunda mãe do radialista Motta Filho

Chegada do corpo de Dona Pupuia ao Salão Paroquial,
onde foi celebrada missa de corpo presente

Interior do Salão durante a missa

Momento do sepultamento no cemitério de Alvorada

Faleceu dia 5 de novembro, em Goiânia, Guilhermina Ponce Mafra, conhecida como Pupuia ou Dona Pupuia, aos 93 anos. Ela estava realizando tratamento médico, depois de sofrer uma queda em sua residência, na cidade de Alvorada-TO, onde residia e foi sepultada.
Dona Pupuia, juntamente com o esposo Francisco Mafra de Santana (o Chicão, ajudou a construir a cidade tocantinense citada, que hoje tem cerca de 18 mil habitantes. A matriarca, que residiu em Uruaçu nos anos 1950 e 1960, deixou sete filhos, 29 netos e 35 bisnetos.
O velório transcorreu na sede do Salão Paroquial, pertencente à Igreja Católica, onde foi celebrada missa de corpo presente. O sepultamento ocorreu dia 6, por volta das 17h, no Cemitério Municipal.
Em 15 de junho de 1978, Chicão havia falecido. Com isso, coube a dedicada matriarca Dona Pupuia se dedicar quase que totalmente aos familiares - filhos, noras, genros, netos e bisnetos.

História de vida
Em 1º de junho de 1918, nascia Guilhermina Ponce na cidade de Peixe (na época pertencente ao Estado de Goiás, hoje região Sul do Tocantins e distante a 319 quilômetros da capital Palmas). Em 3 junho de 1915 nascia Francisco Mafra de Santana em Ilhéus-BA. Por ocasião do destino, os dois se conheceram e sob olhares firmes surgiu um grande amor, resultante de matrimônio feliz e duradouro em Goiânia, capital de Goiás. Uma vez casados, nos idos de 1951 o novo par escolheu Uruaçu para residir, precisamente na fazenda Cabeçeira Funda, de propriedade de Cecília, avó dela, Dona Pupuia.
Após alguns meses, migraram-se para a fazenda Capão do Cedro, localizada a 14 quilômetros de Alvorada e, ali o casal idealizou construir uma pensão, aproveitando-se da oportunidade por ocasião da instalação de um acampamento da então Rodobrás (empresa rodoviária do governo federal) e da construção da rodovia Bernardo Sayão (BR-153 veio anos depois).
Em dados do Governo do Tocantins, dia 11 de novembro de 1963 o distrito de Alvorada foi elevado à condição de Município, desmembrando-se de Peixe. Por bom tempo, a pensão recebeu os encarregados e operários envolvidos com a obra.

Mudança para a cidade
Passaram os anos e, com a finalidade de educar os filhos e, ao mesmo tempo em que surgia Alvorada, o casal resolveu investir outra vez em um ramo comercial.
Foi quando implantaram a primeira pensão, de nome Três Poderes, na zona urbana da promissora cidade. Dona Pupuia e Chicão foram fundamentais na construção de Alvorada.
A prosperidade do novo empreendimento foi essencial na criação e educação dos sete filhos de sobrenome Ponce Mafra: Josemá (Santo), Lucimar (Luci), Édima (Dima), Anamá (Naninha), Cecília, José da Penha (Zezinho) e Maria Sueli.
Durante cerca de 12 anos, o uruaçuense Ismar Lopes dos Reis (Motta Filho), radialista, cronista esportivo, desportista e editor/administrador do site www.mottafilho.com.br, mais que morou com essa mulher de vida marcante: ele foi criado por Dona Pupuia, espécie de segunda mãe do mesmo, que tem como mãe biológica Benedita Lopes dos Reis (Dona Ditinha, moradora de Uruaçu e mãe também de Jota Marcelo, editor-chefe do Jornal Cidade.
Dos tempos de criança, Motta Filho guarda inúmeras lembranças de Dona Pupuia, rica na simplicidade, rica na dedicação para com os familiares em geral. Mais que lembranças, igualmente todos os familiares Motta Filho guarda para sempre importante patrimônio conquistado em Alvorada: a boa educação que recebeu da matriarca.

Exemplo
Mulher guerreira, correta, honesta e de pulso forte, Dona Pupuia deixou um legado de vida e de exemplo para a família toda, da mesma forma para a cidade de Alvorada, onde era respeitada e conselheira de políticos, eclesiásticos e atuantes de todos os segmentos.
Como se vê, não apenas a família, mas Alvorada num todo passou de imediato a sentir saudade e falta de Guilhermina Ponce Mafra.

Uruaçu 08/11/11 - (Da Redação do JC, com transcrição [sob adaptações], do site www.mottafilho.com.br [Uruaçu] - Motta Filho)