terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Encontro debate viabilidade de comercialização e mercado

 
Seminário de Comercialização de grãos teve início em Chapadão do Céu e abordou sobre a comercialização e desafios logísticos – Fotos: Larissa Melo 

Eduardo Peixoto, produtor de soja e milho, destacou a importância do evento e elogiou a iniciativa da Faeg 

Pedro Arantes, explica que o produtor tem conseguido aproveitar com facilidade a tecnologia para aumentar a produtividade, inclusive na etapa de logística

 Antônio Roque acredita que preciso acreditar no potencial agrícola do estado

Descompasso entre oferta e demanda e aspectos relacionados à viabilidade e comercialização de grãos foram as principais temáticas abordadas no primeiro encontro do Fórum de Comercialização e Mercado Agrícola, realizado no dia 30 de janeiro, em Chapadão do Céu. Promovido pela Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), o fórum seguirá até o próximo dia 15 de fevereiro, sendo realizado em dez municípios goianos.
No evento em Chapadão do Céu, o consultor de mercado agrícola, Vlamir Brandalizze, explanou sobre as principais demandas mundiais e os aspectos políticos que afetam a economia e o trabalho no campo. Segundo ele, é necessário chamar a atenção para as oportunidades do Brasil, em função da capacidade limitada que outros países têm em aumentar sua produção de alimentos. De acordo com Vlamir, é preciso que haja uma ampliação e investimentos na infraestrutura de escoamento, principalmente na área de embarque dos portos – que em 2016, em um determinado mês, atingiu o máximo da capacidade, em torno de 10 milhões de toneladas no mês.
O presidente da Faeg, José Mário Schreiner, avaliou importante a troca de informações possibilitadas por meio de eventos como o fórum. Para ele, o diálogo e o debate aprimoram o produtor a buscar soluções diárias e complementares para a tomada de decisão na hora da comercialização de seu produto. Como exemplo, ele citou a China, com uma economia voltada ao consumo, a saída da Grã-Bretanha do bloco europeu, o chamado ‘Brexit’, que influencia o mercado no Brasil e o ‘Efeito Trump’, movimentos que poderão fazer com que o Brasil se insira positivamente no mercado. “Eventos como estes deverão, sem dúvida nenhuma, dar mais oportunidades ao setor agropecuário”, sinaliza.

Desafios de mercado
O consultor técnico da Faeg, Pedro Arantes, explica que o produtor tem conseguido aproveitar com facilidade a tecnologia para aumentar a produtividade, inclusive na etapa de logística. Apesar disso, ele acredita que a comercialização ainda seja um dos grandes gargalos que o produtor enfrenta. “A formação de preço é complexa, porque ela sofre influência do mundo inteiro. Por conta destes fatores os produtores têm mudado sua expectativa constantemente, e por isso, negociam a todo o momento. Portanto, a interação de mercado torna muito complexa para o produtor acompanhar de perto”, pontua.
O vice-presidente institucional da Faeg, Bartolomeu Braz, destaca a necessidade de levar informações atualizadas para o produtor, diante da baixa comercialização de seu produto. “Hoje a expectativa de safra está um pouco acima do que a do ano passado. Nosso Estado está na média regular para cima, porque estamos colhendo acima de 50 sacos. Então, se isso ocorrer teremos uma safra recorde, proporcionando uma oferta grande, com preços de mercado. É necessário, portanto, que o produtor fique atento para não vender seu produto abaixo do preço”, destaca.

Perspectiva mercado
O presidente do Sindicato Rural (SR) de Chapadão do Céu, Antônio Roque, acredita que não adianta nada produzir apenas para dentro da porteira e não saber vender. “Precisamos direcionar de maneira correta o nosso produto para termos lucratividade em nossas propriedades. Cada vez mais devemos acreditar em nosso potencial agrícola. Somos excelentes em produtividade, mas precisamos melhorar as nossas lideranças para que o nosso agronegócio ganhe mais espaço”, relata.
Walter Roque Rigodanzo, produtor há mais de 30 anos, diz que é necessário buscar cada vez mais informações à respeito do mercado. “Precisamos ter mais subsídios para a tomada de decisão, tanto de vendas e insumos. Precisamos ter noção de mercado e, principalmente, do momento certo de comercializar o grão. Como produtor, o diferencial é conhecer bem as oscilações do mercado”, pontua.
Eduardo Peixoto, produtor de soja e milho, destacou a importância do evento. Ele elogiou a iniciativa da Faeg, dizendo que a Federação proporcionou, por meio do fórum, que o produtor tivesse uma visão global de tudo que influencia a comercialização. “Quando nós tratamos de mercado, estamos falando de algo que não temos controle, mas com informações econômicas conseguiremos melhorar nossa forma de vender o nosso produto e com certeza acertaremos na hora de comercializar”, conclui.

Próximos encontros nas cidades goianas
Mineiros e região. 31/01/17 (terça), 19h. Tattersal do Parque de Exposições. Av. Hino Resende, esquina com a BR-364, setor Pecuário. Mineiros

Jataí e região. Data: 01/02/17 (quarta). 19h. Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL). Rua Manoel Inácio, 10, Centro. Jataí

Rio Verde e região. 02/02/17 (quinta). 19h. Salão Verde do Sindicato Rural. Rua 72, nº 346 (Parque de Exposições), bairro Popular. Rio Verde

Itumbiara e região. 06/02/17 (segunda). 19h. Auditório do Sindicato Rural. Av. Modesto de Carvalho, 1.887, Vila Vitória. Itumbiara

Vicentinópolis e região. 07/02/17 (terça). 19h. Rua Tancredo de Almeida Neves, 170, bairro São Sebastião. Vicentinópolis

Ipameri e região. 08/02/17 (quarta). 19h. Salão de eventos do Sindicato Rural. Rua José Balduíno dos Santos, 770, Centro (Parque de Exposição Agropecuária). Ipameri

Formosa e região. 09/02/17 (quinta). 19h. Salão do Sindicato Rural. Av. Brasília, 2.402, setor Industrial. Formosa

Silvânia e região. 14/02/17 (terça). 19h. Salão de eventos da AABB. 2º Avenida, quadra 4, lote 24, nº 833, bairro Nossa Senhora de Fátima. Silvânia

Porangatu e região. 15/02/17. 19h. Salão de eventos do Sindicato Rural. Av. Brasília, snº. Parque Agropecuário Hilton Monteiro da Rocha, Vila Rosa. Porangatu

(Informações: Comunicação Faeg – Juliana Barros)

Anápolis - Prefeito faz balanço do primeiro mês de governo e apresenta situação financeira da administração

Apesar da proposta de economizar o dinheiro público, o objetivo da administração do prefeito Roberto Naves (concedendo entrevista coletiva) é continuar a prestar os serviços à população – Foto: SECOM/Prefeitura de Anápolis

Anápolis - Levantamento de dívidas e enxugamento da máquina estão entre as ações realizadas no período. Confira em http://www.anapolis.go.gov.br/portal/multimidia/noticias/ver/prefeito-faz-balanaso-do-primeiro-maos-de-governo-e-apresenta-situaasapo-financeira-da-administraasapo (Portal da Prefeitura de Anápolis-GO).

sábado, 21 de janeiro de 2017

Brasil exporta 282,3 mil cabeças de bovinos vivos em 2016

Do total,15,7 mil animais, foram comprados pela Turquia – Foto: Arquivo Faeg

Segundo dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic), em dezembro o Brasil exportou 23,4 mil cabeças de bovino vivo, com faturamento total de US$19,2 milhões. Na comparação com o mesmo período de 2015 houve aumento de 56,6% no volume de animais embarcados.
Do total, 15,7 mil animais, foram comprados pela Turquia, que em 2016 foi a maior compradora de bovinos vivos do Brasil. Além da Turquia, em dezembro os animais foram enviados para Líbano e Egito que foram o segundo e terceiro maiores compradores do Brasil em 2016.
De janeiro a dezembro de 2016 foram exportadas 282,3 mil cabeças de bovinos pelo Brasil, 36,1% mais que em 2015.  Do total em 2016, 158,7 mil cabeças foram enviadas para a Turquia, o que corresponde a 56,2% de todos os animais exportados pelo Brasil.

(Informações: Comunicação Faeg [Scot Consultoria])

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Presidido por Mário Ribeiro Filho, Sindicato dos Servidores passa a ser entidade regional [Confira todo o estatuto do SINDIURUAÇU E REGIÃO clicando nas imagens contantes na reportagem

Assembleia Geral Extraordinária: novidades e atuação regional – Fotos: Márcia Cristina e Jota Marcelo

Marinho, presidente do hoje SINDIURUAÇU E REGIÃO, durante a Assembleia: “Estamos criando um Departamento em cada cidade, que terá um sindicalizado representante oficial local”, informa

Doutor Wesley Fantini, especialista advogado na área sindical brasileira que, no decorrer da Assembleia, fez diversos esclarecimentos e respondeu todas as indagações feitas, além de ter dialogado com vários participantes

Assembleia: participação de servidores locais e de fora



Ao final de calma e transparente Assembleia, alteração estatutária aprovada por unanimidade (foto acima)



Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Uruaçu, Campinorte, Nova Iguaçu de Goiás, Alto Horizonte, Mara Rosa, Amaralina, Estrela do Norte, Mutunópolis, Barro Alto, Santa Rita do Novo Destino e Nova Glória (SINDIURUAÇU E REGIÃO): uma nova realidade, um novo fato – Imagem: SINDIURUAÇU E REGIÃO/Divulgação

SINDIURUAÇU E REGIÃO recebeu sinal verde do prefeito Valmir Pedro (dir.)
 para diálogos, parcerias e vasto apoio ao funcionalismo público – Fotos: Márcia Cristina. Imagens: Divulgação

Em clicada de setembro de 2016 na capital federal, os presidentes Marinho (SINDIURUAÇU E REGIÃO) (4º - esq.) e João Domingos (CSPB) (3º - esq.) – Foto: Márcia Cristina

O SINDIURUAÇU atende agora pelo nome de fantasia SINDIURUAÇU E REGIÃO.
Presidido por Mário Ribeiro Filho (Marinho), o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Uruaçu (SINDIURUAÇU) tem nova denominação: Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Uruaçu, Campinorte, Nova Iguaçu de Goiás, Alto Horizonte, Mara Rosa, Amaralina, Estrela do Norte, Mutunópolis, Barro Alto, Santa Rita do Novo Destino e Nova Glória (SINDIURUAÇU E REGIÃO).
Além da atuação na sede, Uruaçu, a entidade passa a atender em outras dez cidades. No total, são oito da região Norte e três da região do Vale do São Patrício.
“Estamos criando um Departamento em cada cidade, que terá um sindicalizado representante oficial local”, comenta Marinho, aproveitando e renovando, novamente, estimula: “Convidamos que mais servidores uruaçuenses, e também agora, o funcionalismo público de cada uma dessas localidades, filiem no Sindicato, pois sempre tivemos e temos o propósito de lutar em defesa das causas do trabalhador público municipal”.
O Sindicato, composto pelo conjunto dos servidores públicos e demais trabalhadores  e inativos de sua base territorial, possui 13 prerrogativas, entre elas, colaborar com órgãos técnicos e consultivos no estudo e soluções dos problemas que se relacionem com a categoria.

Assembleia
Em meados de dezembro do ano passado, foi realizada Assembleia Geral Extraordinária em Uruaçu para exposições, debates, apreciações e, aprovação ou não das propostas. Diretores, filiados locais e de fora participaram do ato, que teve ampla divulgação nos dias antecedentes, inclusive no Diário Oficial do Estado de Goiás (DOEGO) (Goiânia) (em novembro) e, nos jornais Diário da Manhã (Goiânia) (edição de 23/11/16, seção Classificados), Jornal Cidade (versões eletrônica e impressa) (Uruaçu) (links INFORMES > http://www.jotacidade.com/servicos/exibir.php?noticia_id=518&noticia_link=7&noticia_data=21-11-2016%2016:11:21 e EDIÇÕES ANTERIORES [edição 246, de 1º a 15/11/2016, página 4]) e Correio Popular (Uruaçu) (edição 372, da segunda quinzena de novembro de 2016, página 2).
A vigência de cada mandato foi ampliada de três para cinco anos. O atual – 1º de janeiro de 2015 a 31 de dezembro de 2017 – foi prorrogado para 31 de dezembro de 2019 e, a diretoria permanece a mesma.
As novidades foram aprovadas por unanimidade e o estatuto foi alterado legalmente, tudo em trabalho coletivo da presidência, com participação de outros diretores; e, da assessoria jurídica, liderada pelo advogado Wesley Fantini (doutor Wesley), um dos mais qualificados especialistas do Brasil na área sindical.
Toda a reformulação está de acordo com as orientações internas do Sindicato; e, com as determinações da Justiça Comum; do Ministério do Trabalho e Emprego; e, da Confederação dos Servidores Públicos do Brasil (CSPB), entidade mãe do Sindicato, fundado em 1999 com o nome de Associação dos Funcionários Públicos Municipais de Uruaçu (AFPMU [denominação que se estendeu até 31 de março de 2002]).
“Temos registro no Ministério do Trabalho faz muito tempo e diante dessa alteração, somando, por exemplo, denominação, a base territorial de atuação, prazos, fazemos por meio de requerimento simples junto ao Ministério, tendo documentação juntada, com protocolo na SRTE [Superintendência Regional do Trabalho], em Goiânia. Nesse sentido, tudo também sob a assistência do nosso advogado, doutor Wersley, um dos melhores do Brasil”, especifica Marinho.
Confira 100 por cento do estatuto do SINDIURUAÇU E REGIÃO clicando nas imagens das páginas abaixo.

Atuação de Marinho
Comentando se sentir disposto em continuar ajudando para com “o fortalecimento do movimento do sindicalismo do bem”, Marinho frisa que a dedicação, persistência, honestidade, união, o companheirismo, por exemplo, são fatores importantes para que os resultados sejam alcançados. “No nosso estatuto, está: ‘Lutar pela unificação do movimento do Sindicato, pela base’. É algo importante demais, pois o esfacelamento só prejudica e não estamos ‘brincando’ de fazer sindicalismo, pois só trabalhamos com seriedade e determinação. O Sindicato nunca foi meu ou de outro companheiro em particular ou separado, ele é do funcionalismo público sindicalizado em geral, beneficiando até mesmo, em determinadas situações, quem não é filiado. Somos totalmente legalizados, temos uma sede própria mobiliada, não temos dívida. Algumas pessoas duvidaram e até zombaram do fato de que eu e os meus companheiros de diretoria iríamos construir a sede e, ela está aí de portas abertas”.
Marinho pontua que nos planos constam novos investimentos, entre os quais a ampliação da sede administrativa; a construção de auditório; e, de salão social. Também a tão sonhada compra de um espaço/clube de lazer (mais viável que construir). Da mesma forma, a aquisição de mais mobiliário. De um veículo – “Muitas vezes viajo a serviço do Sindicato em carro de minha família”, expõe o homem que respira sindicalismo quase 24 horas/dia.
“Poder atuar na representação coletiva do funcionalismo público municipal perante as autoridades administrativas e judiciárias é algo que me orgulha muito”, especifica o dirigente, observando que jamais deixou de praticar o diálogo. “Tive portas fechadas, ‘batidas’ em minha cara diferentes vezes. Já fui pessimamente recebido, já fui ignorado, tradado como ninguém, pois sabiam que ali estava um presidente compromissado com as causas do servidor público municipal. E, se não fossem nossos esforços, nem todas as conquistas que tivermos teriam sido alcançadas”, memoriza, completando que algumas pessoas, diante de verdades necessárias, o encaram como inimigo. “Eu não tenho ninguém como inimigo ou pessoa adversária. Apenas faço a minha parte, sem ultrapassar regras e, não desejo maldade para ninguém. Nesse sentido, é que eu digo: ‘Temos que fazer o certo, só o que é certo’”, esclarece.
Tanto na esfera municipal, como na regional, estadual e nacional, Marinho é elogiado por distintas lideranças. Uma delas é João Domingos Gomes dos Santos, presidente da CSPB, uma das maiores entidades sindicais do mundo. Ao Jornal Cidade, disse João Domingo em Brasília, no mês de setembro de 2016: “A nossa luta sindical é árdua e não podemos desistir, pois acima de tudo, está o servidor público. Um fato estimulante para nós, da CPSB, é sabermos que em todos os estados do Brasil temos aguerridos companheiros sindicalistas. Um deles, de destaque absoluto, é o Marinho, que conhecemos há muitos anos, sabemos de todo o esforço dele nas causas, se sacrificando às vezes. O Marinho tem um diferencial: é pessoa humildade e se interessa em resolver. De modo, que eu tenho muito orgulho por tê-lo no meio sindical e de tê-lo como meu grande amigo, por sinal, um dos grandes amigos que tenho em nosso amável estado de Goiás. Aproveito, para enviar um forte abraço para todos de Uruaçu e da região, do estado inteiro”.

Marinho e Valmir Pedro: respeito mútuo
Novo prefeito de Uruaçu, Valmir Pedro (PSDB) publicou na rede social Facebook na primeira quinzena de janeiro: ‘Na Administração anterior o Sindicato dos Servidores não era respeitado pela prefeita [Solange Bertulino {PMDB}]. Agora em nosso governo já dei a ordem para receber e passar todas as informações contábeis e bancárias para o presidente Marinho; ele será tratado como um ‘braço’ da Administração e terá em suas mãos tudo que entrar e sair das contas do município’.
Entrevistado pelo JC na Redação em outubro, Valmir Pedro ressaltou: “Eu disse em todos os meus discursos que só tem uma forma de eu fazer um grande governo: é eu ser parceiro dos servidores públicos, é ter um diálogo com o Sindicato dos Servidores, para a gente governar em harmonia. Vou ser prefeito quatro anos, o servidor público não, ele está lá, muitos anos, vai ficar mais dez, 20, 30 anos. Ficará até aposentar. Eu, que estarei apenas de passagem, quero deixar essa passagem marcada por uma boa relação, respeito e valorização do servidor público”.
Ou seja, em linhas gerais: o respeito do prefeito junto ao funcionalismo público e ao Sindicato presidido por Mário Ribeiro Filho.
O Editorial da edição 250 (de 1º a 15/01/2017) – Parceria SINDIURUAÇU, funcionalismo e Executivo –, destaca a atuação da entidade. Leia:
Relembramos: leia 100 por cento do estatuto do SINDIURUAÇU E REGIÃO clicando nas imagens das páginas abaixo.

 [Clique em cada imagem para ampliar








 [Clique em cada imagem para ampliar









 [Clique em cada imagem para ampliar










[Clique em cada imagem para ampliar

(Jota Marcelo)

Uruaçu – Chaveiro e Guincho Mult Chaves

[Clique na imagem para ampliar